Verba volant, scripta manent...

5.8.04

Vida nova, né?

Então, logo mais, blog novo...

Este aqui ficará apenas na lembrança...


posted by Marina at 13:56


________________________

19.7.04

Era feliz. No entanto, algo faltava... e nesse espaço acabava guardando muita coisa que podia ter sido descartada há muito tempo. Se ainda havia espaço, por que não guardar essas pequenas lembranças? Talvez algum dia seria útil, quem sabe?
Então ia guardando...
Com o passar do tempo, aquele espaço já não era mais suficiente e as coisas passaram a serem jogadas umas em cima das outras... Um verdadeiro quartinho da bagunça, que chega um momento e começa a transbordar, as coisas começam a cair pelo caminho e viram grandes transtornos...
Nesse momento ou criava coragem e organizava tudo de uma vez, ou então viveria no meio daquilo tudo, tropeçando a cada instante.
 
Colocou tudo para fora... lembrou com carinho daquilo que tinha vivido. Sabia que já tinha aprendido. Não precisava mais daquelas coisas...
Daqui para frente guardaria apenas o que era de extrema relevância.
Quando finalmente aquele espaço estava livre, pôde mergulhar sem medo de se machucar.
E agora nada falta...


posted by Marina at 17:16


________________________

27.1.04

Final Feliz
(Jorge Vercilo)

Chega de fingir
Eu não tenho nada a esconder
Agora é pra valer
haja o que houver.
Não tô nem aí
Eu não tô nem aqui pro que dizem
Eu quero ser feliz
E viver pra ti
Pode me abraçar sem medo
Pode encostar tua mão na minha
Meu amor, deixa o tempo se arrastar sem fim
Meu amor
Não há mal nenhum gostar assim
Oh, meu bem, acredite no final feliz
Meu amor, meu amor!



posted by Marina at 15:08


________________________

11.11.03

Difícil escrever com tantos sentimentos represados, tentando escapar por uma comporta semi-aberta, pressionando cada vez mais, já que a correnteza do rio da vida é forte e não pára, fazendo com que tudo transborde.

Já não dá mais pé. Faltam-me forças para manter a cabeça fora d'água e respirar.

Mais adiante avisto um galho flutuando no qual possa me apoiar. Mas está tão distante... tão distante...

posted by Marina at 20:07


________________________

16.10.03

AI QUE SAUDADES TENHO DA BAHIA...

Para os desavisados... Sim! Consegui ir para Salvador!
Sábado à tarde já estava eu saindo do aeroporto e recebendo aquela brisa quente e úmida no rosto.
Tudo bem, confesso que num segundo momento já estava maldizendo todos os deuses pelo calor que faz ali.
Porém as pessoas, os lugares maravilhosos compensam o calor infernal que reina por aquelas bandas.


Então, compareci à cidade de Senhor do Bonfim para representar meu diretório numa reunião do Conselho Nacional de Entidades blá blá blá.
Assim, por óbvio, não tive a chance de conhecer um milésimo do que gostaria de conhecer da cidade. Mas no domingo, ao final da reunião, juntamos o pessoal e fomos beber e tocar violão no Farol da Barra, com direito a banho de mar e tudo. Pena que não posso entrar em detalhes para preservar a imagem das pessoas que participaram de nosso luau.
Completamente sem comentários... sem palavras para expressar a beleza do lugar. Mais ainda para expressar a beleza da aurora vista daquele lugar.

Bahia me aguarde! Logo mais eu volto!

posted by Marina at 17:51


________________________

2.10.03

DE QUE SERVE A BONDADE

1

De que serve a bondade
Se os bons são imediatamente liquidados, ou são liquidados
Aqueles para os quais eles são bons?

De que serve a liberdade
Se os livres têm que viver entre não livres?

De que serve a razão
Se somente a desrazão consegue o alimento de que todos necessitam?

2

Em vez de serem apenas bons, esforcem-se
Para criar um estado de coisas que torne possível a bondade
ou melhor: que a torne supérflua!

Em vez de serem apenas bons, esforcem-se
Para criar um estado de coisas que liberte a todos
E também o amaor à liberdade
Torne supérfluo!

Em vez de serem apenas razoáveis, esforcem-se
Para criar um estado de coisas que torne a desrazão de um indivíduo
Um mau negócio!

Bertolt Brecht

posted by Marina at 15:28


________________________

13.9.03

SÁBADO...
Devia ter ido visitar minha família, há tempos não o faço. Devia dedicar o dia a meus amigos... há muito não os vejo.
Mas chove lá fora e me apetece, e muito, ficar aqui em casa, sozinha lendo um livro, vendo um filme, ouvindo uma música olhando para o nada...
É... não sou muito normal, não.
Mas afinal, quem é?

posted by Marina at 15:49


________________________

3.9.03

7 DE SETEMBRO




"TIREM AS MÃOS... O BRASIL É NOSSO CHÃO"

posted by Marina at 21:22


________________________

29.8.03

Sei que está em cima da hora, que o prazo para as inscrições acabou há muito, e que ninguém lê isso aqui, mas amanhã mesmo parto para as tristonhas margens do rio piracicaba para participar do Encontro Jurídico Continental sobre a Alca.
Vamos ver o que aquela cidade me reserva desta vez.

posted by Marina at 01:25


________________________

Do companheiro Maringoni, para a Agência Carta Maior:



posted by Marina at 00:26


________________________

SOBRE A ESQUERDA E A DIREITA

Esquerda e direita existem, mais do que nunca, em um mundo polarizado entre a riqueza e a miséria, consumistas e humanistas, belicistas e pacifistas. Escolha o seu lado e lute por ele, sem esconder seus valores.


Sem comentários... Emir Sader é o que há!



posted by Marina at 00:04


________________________

1.8.03

Menino, menino...
O que você está fazendo comigo, hein???
Me liga quando eu menos espero, some quando quero te encontrar...
Noites maravilhosas, conversas que se extendem pela madrugada, tardes de sábado jogados no sofá debaixo do edredon tomando sorvete... Sem contar as festas com o pessoal, as aparições no meio da madrugada...rs
Ah... menino, menino...


posted by Marina at 16:03


________________________

Ah, Curitiba...
Saudades...
Saudades de todos que lá estiveram comigo.
Meninas e meninos do DM, trabalhando como loucos pela madrugada nos DCEs da PUC-PR e UFPR, brincando com os radinhos... "Coisinhas sinceras no 3!!!!", comendo no bandejão, se perdendo todas as vezes pelas ruas de Curitiba, dormindo clandestinamente na CEU...
Saudade das reuniões do CONEMA, apesar das minhas reivindicações por novas eleições terem sido frustradas... Precisamos mudar esse estatudo já! Nada de colegiado! Presidencialismo agora!!!
Marina para presidente! hehehehe

Aventuras inesquecíveis no caminho de João e Maria, pular de bar em bar no centro da cidade...

Saudade, muita saudade...

posted by Marina at 15:54


________________________

FUTUROS AMANTES
Chico Buarque

Não se afobe, não
Que nada é pra já
O amor não tem pressa
Ele pode esperar em silêncio
Num fundo de armário
Na posta-restante
Milênios, milênios
No ar
E quem sabe, então
O Rio será
Alguma cidade submersa
Os escafandristas virão
Explorar sua casa
Seu quarto, suas coisas
Sua alma, desvãos
Sábios em vão
Tentarão decifrar
O eco de antigas palavras
Fragmentos de cartas, poemas
Mentiras, retratos
Vestígios de estranha civilização
Não se afobe, não
Que nada é pra já
Amores serão sempre amáveis
Futuros amantes, quiçá
Se amarão sem saber
Com o amor que eu um dia
Deixei pra você


posted by Marina at 15:20


________________________

28.7.03

Pois é... só para avisar que estou de volta.
Assim que tiver um tempinho (ainda tenho que desfazer a mala, lavar roupas, cuidar do meu gato etc, etc, etc...) conto todas as novidades.
E olha que tem novidades pra caramba...


posted by Marina at 18:20


________________________

13.7.03

Ai, ai, ai...
Como arrumar uma mala para passar duas semanas em Curitiba?
Alguém aí tem idéia do frio que vou passar por lá?

posted by Marina at 17:23


________________________

12.7.03

Ah... que saudade das tristonhas margens do rio piracicaba...
Ah... o que será que há de tão... de tão... sei lá... nessa cidade?
Mas de um tempo pra cá, muito do que tem acontecido em minha vida teve início por lá.
Um olhar, um baseado, uma viagem, despedida no metrô... Que diria, hein?
Quem diria...

posted by Marina at 19:27


________________________

11.7.03

A ESPERANÇA DO MUNDO

1

Seria a opressão tão antiga quanto o musgo dos lagos?
Não se pode evitar o musgo dos lagos.
Seria tudo o que vejo natural, e estaria eu doente, ao desejar remover o irremovível?
Li canções dos egípcios, dos homens que construíram as pirâmides. Queixavam-se do seu fardo e perguntavam quando terminaria a opressão. Isto há quatro mil anos.
A opressão é talvez como o musgo, inevitável.

2

Se uma criança surge diante de um carro, puxam-na para a calçada. Não o homem bom, a quem erguem monumentos, faz isso. Qualquer um retira a criança da frente do carro.
Mas aqui muitos estão sob o carro, e muitos passam e nada fazem.
Seria porque são tantos os que sofrem? Não se deve mais ajudá-los, por serem tantos? Ajudam-nos menos.
Também os bons passam, e continuam sendo tão bons como eram antes de passarem.

3

Quanto mais numerosos os que sofrem, mais naturais parecem seus sofrimentos, portanto. Quem deseja impedir que se molhem os peixes do mar?
E os sofredores mesmo partilham dessa dureza contra si e deixam que lhes falte bondade entre si.
É terrível que o homem se resigne tão facilmente com o existente, não só com as dores alheias, mas também com suas próprias.
Todos os que meditaram sobre o mau estado das coisas recusam-se a apelar à compaixão de uns por outros. Mas a compaixão dos oprimidos pelos outros é indispensável.
Ela é a esperança do mundo.

Bertolt Brecht

posted by Marina at 16:57


________________________

26.6.03

Recebi por e-mail... e cabe perfeitamente neste momento.

"Quantas vezes não pronunciamos no momento oportuno as palavras que gostaríamos de dizer, pelo medo de parecermos ridículos e imaturo...

Quantas vezes ficamos porque tivemos medo de partir...

Quantas vezes partimos porque tivemos medo de ficar...

Quantas vezes dizemos baixinho o que na realidade gostaríamos de gritar..."

Ligo? Não ligo e continuo a esperar a ligação??
Óh dúvida cruel!



posted by Marina at 12:22


________________________

Arquivos

Eu leio
Imprensa Marrom
Observatório da Imprensa
Caros Amigos
Nova-e
Claudio Humberto
Agencia Carta Maior

Blogs
Cartas de Maracangalha
Gravataí Merengue
InternETC
Jesus, me chicoteia!
Leite de Pato


Powered by Blogger
Verba volant, scripta manent...